quinta-feira, 8 de março de 2012

Carta de uma fã para os pais.


Mãe, desculpa se eu sempre te pedi demais e nunca entendi os teus “nãos”. 
Sempre fui teimosa e talvez aches que esse é meu maior defeito, 
mas eu chamo isso de persistência e hoje eu não sinto raiva pelas vezes 
que me negou a possível realização de um sonho. Apenas te agradeço por ter 
cuidado de mim e se importado. Obrigada também por — mesmo que pouco — 
me entender. Lembro que um dia, arrumando umas bagunças no meu quarto, 
a senhora olhou para meus posteres e perguntou: “Porque isso?”, e desde 
então tenho me feito a mesma pergunta, só que não consigo responder. 
Eu simplesmente o amo com todas as minhas forças e o quero perto sempre. 
Sei que as vezes exagerei, mas nunca soube amá-lo pouco. 
ㅤㅤㅤPai, juro que queria ter sido essas meninas mais estudiosas, 
esforçadas e que gostassem de ler. Queria que sentisses orgulho de mim
e que falasse para teus amigos o quanto eu era exemplar. Sei que nunca fui 
o que esperavas, enquanto os outros se divertiam em festas, saiam com os amigos 
ou andavam na praça, eu ficava em casa fazendo planos e alimentando esperanças… 
e o senhor sempre dizia que eu sonhava demais. É que isso faz parte da minha essência. 
De todas as coisas que me destes, eu juro, que nada seria melhor do que ter 
entendido o amor nobre que eu carregava no peito. 
Mas não te culpo, jamais faria isso. O mundo aqui fora também tem essa incompreensão. 
Sei que em muitas coisas eu errei ... 
mas de todos os meus acertos, amá-lo foi o melhor de todos

Um comentário: